segunda-feira, 24 de novembro de 2014

O Curso da Vida

No inicio era apenas uma pequena mina, borbulhando as areias em busca da superfície. Não mais aceitava viver no mundo submerso, pois precisava de novos ares. 

Quantos questionamentos afloravam neste despertar do mundo das limitações, cujas respostas tradicionais não atendiam mais. Devia haver alguma coisa além daquele mundo pequeno e limitado.

A pequena nascente jorrou apalpando o terreno em busca de uma nova direção a seguir. Os Pequeninos obstáculos eram como montanhas gigantescas, mas já não podia mais voltar para o fundo da terra. Havia uma atração inexplicável a puxa-la. 

Então desceu por caminhos estranhos experimentando novas sensações e aventuras em cada descoberta.  Umedeceu o terreno com sua euforia e sofrimento,  seguindo sempre em frente. 

Quantas vezes se perdeu no caminho, quantas vezes ficou preso entre as pedras e espinhos ou em redemoinhos. até que o caminho se abrisse novamente e as águas seguissem seu curso.

Mais adiante se encantou com as belezas das paisagens e quase se perdeu no caminho. Também enfrentou duras rochas, mas as lapidou e seguiu  adiante e encontrou curvas velozes e sinuosas como se fossem montanhas russas. Despencou muitas vezes, mas voltou a deslizar suavemente. 

Houve um tempo em que parou sereno envolto em folhagens, como se estudasse as paisagens e delas absorvesse a essência dos mundos, neste tempo queria seguir sozinho conquistando o terreno,  mas percebeu que era melhor se unir a outros afluentes  para juntos se fortalecerem e formarem uma corrente maior,  ganhando força e firmeza. 

O pequeno veio se uniu  a outros filetes e tornou um riacho aumentando a força e o desejo de alcançar algum lugar distante, ainda sem ter noção exata da razão e sentido desta força misteriosa que tornava o terreno conhecido menos atrativo do que um futuro incerto. 

Aos poucos se transformou em um rio caudaloso Impressionando com a força com que vence os obstáculos, o vigor da correnteza, a convicção com que avança sobre as rochas e segue em frente, sentindo cada vez mais a atração da imensidão das águas que o chamavam para junto de si, dando-lhe sentido para vencer obstáculos cada vez maiores. 

Sua força agora irriga as lavouras, gera riqueza, move moinhos, gera energia para muitos, sustenta cidades e até países inteiros através da eficiência de sua correnteza alimenta e multiplica a vida.

Agora és uma força e uma referencia, és o mar para muitos afluentes que se desembocam em busca de um curso. 

Impressiona a limpidez de suas águas mansas que unem em sua lamina o céu e a terra, o gigantismo de suas margens, a serenidade de suas águas  que esconde a força que corre em seu interior, sem abalar sua superfície serena. 

Já não se sabe mais onde começa o rio e onde começa o mar. Já não se sabe mais se é o mar que atrai o rio ou se é o rio que atrai o mar.

A vida segue seu curso, como o Rio caminha para o Mar. O Curso da vida é a vida em curso, mas todo curso tem um Mestre e todo Mestre tem seu curso, e aquele que segue o curso finalmente encontra o seu Mestre.